Newsletter subscribe

Geral

Confira sugestões para curtir as férias sem esquecer do vestibular

Posted: 13 às 16:41   /   by   /   comments (0)

Durante o recesso, é comum a dúvida sobre o que fazer com o tempo livre.
Segundo professores, o equilíbrio é sempre a melhor solução.

“Enquanto eu estou descansando, há um con­­corrente estudando.” Este sentimento de culpa é comum entre os vestibulandos que resolvem deixar os estudos de lado durante as férias de julho.

Por outro lado, a pressão envolvida na disputa por uma vaga no ensino superior faz com que outros tentem aproveitar cada minuto do recesso para revisar os conteúdos do concurso. Contudo, o que parece uma vantagem em relação aos demais candidatos pode prejudicar o desempenho nas provas.
Diretores e professores de cursinho recomendam que o estudante aproveite os poucos dias de folga para recuperar as energias. O segundo semestre é naturalmente mais puxado e exige muita disposição, principalmente agora que algumas escolas terão de readequar os calendários das aulas em função do novo Enem.

O diretor geral do Curso Unificado, Fer­nando Luiz Fruet Ribeiro, afirma que a carga horária ficará maior depois das férias para haver tempo de abordar os conteúdos até a realização do exame, marcado para os dias 3 e 4 de outubro.
Segundo o professor de Química João Pedro Alvarez Ma­­teos, orientador de hábitos de estudos do Curso Positivo, o ideal é deixar os livros de lado. “O estudante tem apenas 15 dias de férias e precisa aproveitar”, argumenta.

Na opinião de Ribeiro, quem se dedicou ao cursinho no primeiro semestre e está com as matérias em dia deve diminuir o ritmo de estudos, mas sem abandonar por completo as apostilas.

“É necessário administrar o tempo para conciliar estudos e lazer. É como se o aluno estivesse correndo e durante as férias começasse a trotar, mas não parasse”, diz. Para o estudante que está com conteúdos atrasados, o recesso seria a oportunidade de recuperar o tempo perdido.
O aluno do terceirão Murilo Júlio Alves Bodaneze, 18 anos, segue essa linha, a de reduzir sem parar. De férias no colégio, mas não no trabalho, ele diminuiu as horas dedicadas aos estudos.

“Em época de aula, estudo em média quatro horas por dia. Nas férias, estudo uma hora e meia, duas horas. Tenho visto matérias que já estudei, mas que não ficaram muito claras”, conta ele, que trabalha na sala de informática do colégio onde estuda.

As férias, porém, não servirão apenas para reforçar a preparação para o vestibular, já que o estudante fará uma viagem de quatro dias para a cidade de São Paulo para descansar.

 

O que fazer

Quer curtir as férias, mas sem esquecer completamente o vestibular que vem por aí? Confira algumas dicas:

- Leia as obras de literatura e filosofia cobradas no concurso.

- Providencie os documentos necessários para as inscrições nos vestibulares e para a matrícula nas faculdades e universidades.

- Diminua o ritmo de estudos. Para Ribeiro, quem está com a matéria em dia pode dedicar de três a quatro horas por dia às apostilas. Já na opinião de Mateos, duas horas diárias são suficientes para o aluno que não quer se desligar por completo.

- Fique atento ao noticiário. “Recomendamos que o aluno leia, pelo menos, uma reportagem por dia, para não ficar desatualizado”, sugere Mateos.

- Assista a filmes ou peças de teatro com conteúdos relevantes para os concursos. O mesmo vale para os livros.

Fontes: João Pedro Alvarez Mateos, Fernando Luiz Fruet Ribeiro e caderno Vestibular.

Conheça alguns filmes que complementam os conteúdos trabalhados em sala de aula

Física
Cosmos: série de televisão sobre astronomia com 13 episódios, que podem ser encontrados no Youtube.

História geral
Reds: drama que mostra os bastidores da Revolução Russa e a luta do proletariado sob o olhar do repórter norte-americano John Reed, que retratou o período no livro “Os dez dias que abalaram o mundo”.

Lutero: mostra a vida de Martinho Lutero, monge alemão cujas ideias influenciaram a reforma protestante.

Gandhi: filme sobre Mahatma Gandhi, líder que lutou pela independência da Índia.

História do Brasil
O preço da paz: baseado em fatos reais, trata da Revolução Federalista (1893 a 1895), que ocorreu no sul do Brasil e pretendia derrubar o presidente Floriano Peixoto.

Batismo de sangue: narra a história de frei Tito, frade dominicano que decidiu ajudar um grupo guerrilheiro em plena ditadura militar brasileira.

Fontes: professores Ricardo Follador, do Decisivo; Osvaldo Siqueira, do Unificado; e André Marcos de Paula e Silva, dos cursos Expoente e Positivo.

(* Com informações do jornal Gazeta do Povo)

 

fonte

Comentários

comentários

Comments (0)

write a comment

Comment
Name E-mail Website